sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Cabaré no Sertão

2º Lugar no V Prêmio de poesia popular João Sapateiro

No sertão, todo dia é cansativo:
de manhã tem um galo estridente
despertando bem cedo toda a gente
pro trabalho esforçado do cultivo,
mas depois do cansaço excessivo
dessa dura rotina sertaneja,
tem cachaça, mulher, fumo e cerveja
no bordel que estiver menos lotado.
Cabaré no sertão é tão sagrado
quanto a missa aos domingos na igreja.

Pra alegrar de verdade a matutada
basta um monte de nega zuadenta.
Alcatrão, 21, pedra 90,
e a festa já tá organizada.
Ralar bucho até de madrugada,
escondido, sem que a patroa veja,
numa nega zambeta que manqueja
é o melhor passatempo já inventado.
Cabaré no sertão é tão sagrado
quanto a missa aos domingos na igreja.

O matuto não tem necessidade
de fazer essa tal de terapia,
pois no brega ele encontra, todo dia,
atenção e respeito de verdade.
Isso mostra a tamanha utilidade
do puteiro na vida sertaneja.
Não é só come-come e beija-beija.
Quem pensar desse jeito tá enganado.
Cabaré no sertão é tão sagrado
quanto a missa aos domingos na igreja.

Sendo eleito prefeito ou coisa e tal,
eu prometo criar um benefício
garantindo ao baixo meretrício
incentivos como isenção fiscal.
Pra aquecer o setor comercial
e alcançar o progresso que se almeja,
eu prometo também, pra quem me eleja,
um imenso bordel estatizado.
Cabaré no sertão é tão sagrado
quanto a missa aos domingos na igreja.

Wedmo Mangueira

Link da matéria sobre entrega da premiação: http://www.laranjeiras.se.gov.br/ler.asp?id=160&titulo=noticias

Um comentário:

Aglacy Mary disse...

Fato e graça no desenho feito a régua desse cabaré. Sagrado é ler seus poemas, Wedmo.